terça-feira, 30 de novembro de 2010

Abraço.

Ás vezes um abraço fala mais do que qualquer coisa, demonstra mais amor do que tudo, vale mais que qualquer "eu te amo". É um carinho, uma forma de demonstração de afeto, que é sincera. Um abraço longo, apertado, gostoso, que te aconchega e te traz segurança.
Quando você se sente mal, e alguém não te pergunta nada, apenas te abraça forte, sem pressa, e cada vez mais forte, é como se só houvessem essas duas pessoas no mundo, ali, agora, nada mais importa.
Sim, um abraço pode ser tudo o que você precisa pra esqueçer de coisas que você não quer lembrar, pra não falar palavras que não saem da sua boca de maneira alguma, pra chorar. Um abraço pode sim ser tudo o que você mais precisa.
Nunca hesite em pedi-lo, tenha certeza de que ninguém vai nega-lo á você.

Pursuit of happiness

Você é feliz? Ou melhor, o que te faz feliz? É uma pergunta que pode ter muitas respostas. Pois é, qualquer coisa pode te fazer feliz, uma palavra, um gesto, um sorriso, qualquer coisa.
Ás vezes, seu dia tá um porre, e chega alguém e te dá um abraço, ou te faz rir, coisas simples, que você vai lembrar pra sempre. Algo que te torne mais especial, que vai ficar marcado pra sempre.
São as pequenas coisas na vida que se tornam especiais. Não é algo caro, na verdade nem precisa ter algum valor em dinheiro, tendo sinceridade, amor e carinho já basta. Quantas pessoas já te fizeram se sentir especial e único? Quantos abraços já te deram que você se lembra até hoje? Aquela chuva que parece que te deixou mais leve, aquele pôr do sol que você viu que te deixou mais tranquilo. Quantas pessoas você já fez feliz hoje?
Coloque mais alegria e boa vontade em tudo o que você faz, porque uma hora isso tudo voltará em dobro pra você. Você já é feliz e talvez nem saiba.

domingo, 28 de novembro de 2010

Cansaço

Quando eu te conheçi, eu nunca imaginária chegar aonde eu cheguei. Você parecia ser só qualquer menino sabe? Mais um daqueles que eu daria 'oi' ou sei lá. Mas aí, a gente começou a se falar mais, você começou a me procurar, a virar meu amigo, e eu logo, me apeguei á você. Tudo isso nas férias, mas quando as aulas voltaram, eu percebi que não tinha você só pra mim, tinha que dividi-lo com mais pessoas, e por mais que eu negasse ou não quisesse admitir, eu estava gostando de você.
E assim foi, eu gostando de você, você falando que também sentia algo, e eu me iludindo, só que a sua incerteza me machucou e muito. Talvez eu mesma tenha sofrido, sozinha, porque eu gostava de alguém que não ligava pra mim, mas eu decidi superar. Confesso que consegui, por um tempo. Aí então, eu conheçi outras pessoas, mas no final, algo sempre me prendia á você, não sei, você voltava pra minha vida com um charme diferente, com uma maneira de me conquistar diferente.
Não sei o que me prendeu á você, sei só que foi forte. Pena que não era pra ser. Porque depois de todo esse tempo, eu já não aguento mais chorar, sofrer, me sentir mal, por alguém que não está nem ligando pra mim. Só que eu, nunca desejo o que eu sofri á você, também não te odeio, porque não tenho porque de te odiar, você é muito importante pra mim, mas eu não vou conseguir juntar os pedaços do meu coração de novo por sua causa.
Eu acho que agora, eu merecia encontrar alguém que realmente gostasse de mim, e que me fizesse bem, de verdade. Eu preciso muito de um motivo pra sorrir. Mas agradeço á Deus, por ter meus amigos, que nunca me deixam, apesar de tudo.
Mesmo eu estando passando por um momento difícil, eles não me esqueçem, eles apenas me compreendem, pra eles apenas meu silêncio já demonstra que eu não estou bem, eles me abraçam, eles querem que eu seja feliz, assim como eu quero que você, eles, nós sejemos as pessoas mais felizes do mundo. Não guardo nenhuma mágoa disso, mas se pudesse reescrever essa história, ela seria completamente diferente.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Se um dia eu não acordar...

"Imagine se um dia eu não acordar quem vai puxar assunto com você? quem vai mentir que você é legal? Imagine um dia se eu morrer, você iria se arrepender de não ter dito tudo o que eu perguntava. E eu vou morrer sem nunca saber, se você no fundo me amava. Você choraria? Se lamentaria? Será que algum dia eu vou saber? Mas eu também me arrependeria, pois pra ti eu também nunca me declarei (...) Embora também isso nunca passe pela sua cabeça, que tudo o que eu quero é ter você, mas não creio que isso um dia aconteça. Será que algum dia a gente poderia...porque eu não posso ser feliz? Vai ver que é porque eu não deva ter você pra mim, pode deixar assim se algum dia eu não acordar.."
Fresno-Se um dia eu não acordar

O outro lado.

Por que nossa felicidade sempre acaba em algum momento? Seja um amor que não dá certo, um alguém que perdemos, uma oportunidade descartada. Por que?
Geralmente, vem a nós, aquele típico sentimento de culpa, arrependimento, peso. Como se nós fossêmos culpados por alguém que morreu, um namoro que acabou, ou uma crise com quem nós gostamos, ou algo que não deu certo na escola.
Eu por exemplo, não sei lidar com perdas, meu coração sempre vai guardar pequenas lembranças, rancores, um sentimento que ninguém no mundo vai conseguir tirar de mim. Ás vezes eu penso muito em tudo o que eu já fiz, no meu valor pras pessoas, e acabo me decepcionando. Outras vezes, eu tento me valorizar, ou meus amigos me dão apoio, e eu consigo sorrir, ou tirar da mente, nem que seja por um segundo, coisas que eu não queria pensar.
Ta aí um defeito do meu coração, ele não é forte, ele não aprende a esqueçer, ele somente guarda minhas lágrimas, minhas lembranças. Isso pode não ser um defeito, mas também possa ser, porque depois de um coração se partir tantas vezes, de aguentar sofrimentos e angústias, ele acaba não cicatrizando totalmente.
Mas o que seria da vida sem lembranças? Existem as ruins, mas a nossa vida também está cheia de coisas boas. Quando você estiver triste, lembre-se que no fundo, nem tudo é ruim e também, não é sua culpa. A vida tem esse dom de nos surpreender, sempre. Guarde as lembranças boas, e as que você acha que são ruins..

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ame, sim.

Amar não é proibido, você não entendeu. Mas demonstre seu amor aos poucos, deixe isso no ar, e faça com que esse alguém corra atrás de você, não faça sozinho o amor que depende de duas pessoas, isso não é amor, é babaquice. Dê-se mais valor, ache-se mais, senão esse alguém não vai lembrar de você como alguém importante, e sim como uma idiota que enche o saco o tempo todo. Dizer "eu te amo" é muito lindo, concordo, mas tudo vem com o tempo. Eu sei que o amor muitas vezes parece não ter razão, que os sentimentos sempre estão a flor da pele, que não dá pra se controlar, mas, se você tem que se amar primeiro, pra não passar por idiota. Tenha calma.

Esqueça.

Todos temos momentos tristes, ou ápices de alegria. Só que eles nem sempre acontecem quando queremos, e sim quando precisamos. A vida é uma lição, onde você tem dúvidas, anseios, e medo do que pode aconteçer.
Mas, deixe que o tempo lhe dê essas respostas. Esqueça um pouco dos outros, lembre-se mais de você. Viva do jeito que lhe é cômodo, não faça muito por quem não te devolve nada, a não ser que você queira sofrer mais. Esqueça pelo menos por um minuto, um dia, das palavras, das pessoas que já lhe fizeram mal, das lágrimas que você já deixou caírem por alguém que não lhe merecia, a vida é muito mais do que um amor, um beijo, um momento. A sua vida pertence á você, e depende de você sua felicidade, por isso, esqueça dos outros, lembre-se mais de você.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Sentir-se amado

O cara diz que te ama, então tá. Ele te ama.

Sua mulher diz que te ama, então assunto encerrado.

Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se.

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com outra coisa: se o cara beija, transa e diz que me ama, tenha a santa paciência, vou querer que ele faça pacto de sangue também?

Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos dois.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando. "Não seja tão severa consigo mesma, relaxe um pouco. Vou te trazer um cálice de vinho".

Sentir-se amado é ver que ela lembra de coisas que você contou dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d´água. "Lembra que quando eu passei por isso você disse que eu estava dramatizando? Então, chegou sua vez de simplificar as coisas. Vem aqui, tira este sapato."

Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.

Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo.Martha Medeiros

O medo do Amor

Medo de amar? Parece absurdo, com tantos outros medos que temos que enfrentar: medo da violência, medo da inadimplência, e a não menos temida solidão, que é o que nos faz buscar relacionamentos. Mas absurdo ou não, o medo de amar se instala entre as nossas vértebras e a gente sabe por quê.

O amor, tão nobre, tão denso, tão intenso, acaba. Rasga a gente por dentro, faz um corte profundo que vai do peito até a virilha, o amor se encerra bruscamente porque de repente uma terceira pessoa surgiu ou simplesmente porque não há mais interesse ou atração, sei lá, vá saber o que interrompe um sentimento, é mistério indecifrável. Mas o amor termina, mal-agradecido, termina, e termina só de um lado, nunca se encerra em dois corações ao mesmo tempo, desacelera um antes do outro, e vai um pouco de dor pra cada canto. Dói em quem tomou a iniciativa de romper, porque romper não é fácil, quebrar rotinas é sempre traumático. Além do amor existe a amizade que permanece e a presença com que se acostuma, romper um amor não é bobagem, é fato de grande responsabilidade, é uma ferida que se abre no corpo do outro, no afeto do outro, e em si próprio, ainda que com menos gravidade.

E ter o amor rejeitado, nem se fala, é fratura exposta, definhamos em público, encolhemos a alma, quase desejamos uma violência qualquer vinda da rua para esquecermos dessa violência vinda do tempo gasto e vivido, esse assalto em que nos roubaram tudo, o amor e o que vem com ele, confiança e estabilidade. Sem o amor, nada resta, a crença se desfaz, o romantismo perde o sentido, músicas idiotas nos fazem chorar dentro do carro.

Passa a dor do amor, vem a trégua, o coração limpo de novo, os olhos novamente secos, a boca vazia. Nada de bom está acontecendo, mas também nada de ruim. Um novo amor? Nem pensar. Medo, respondemos.

Que corajosos somos nós, que apesar de um medo tão justificado, amamos outra vez e todas as vezes que o amor nos chama, fingindo um pouco de resistência mas sabendo que para sempre é impossível recusá-lo.Martha Medeiros

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Just let me go.

Eu não sei o que está aconteçendo comigo, eu também não quero que ninguém se importe com isso. Quero continuar a viver, deixando certas coisas de lado, aproveitando mais as alegrias e esqueçendo um pouco as dores do coração. Viver é algo muito pessoal, cada um escolhe uma maneira para si mesmo. Quem sou eu pra criticar o que fazem de suas vidas? Pois é, a partir disso que eu passei a olhar mais pra mim do que para o externo. Se eu não me importar com a minha vida, meus sonhos, quem vai se importar?
Não vou dar explicações, nem quero perguntas, só peço que me deixem, é o que eu mais quero.


"And you love me, but you don't know who I am
I'm torn between this life I lead
and where I stand
you love me, but you don't know who I am
so let me go, just let me go..."